AdvaMed, Agir Saúde, CNSaúde, FBAH, Hospitalar e Missão Sal da Terra assinam Marco de Consenso pela Ética


Data de Publicação: 25/05/2023
AdvaMed, Agir Saúde, CNSaúde, FBAH, Hospitalar e Missão Sal da Terra assinam Marco de Consenso pela Ética
O Instituto Ética Saúde (IES) promoveu a Cerimônia de Assinatura do Marco de Consenso para a Colaboração Ética Multissetorial na Área de Saúde, na sala da presidência da Hospitalar 2023, no dia 24 de maio, com a presença de dezenas de entidades que representam os diversos segmentos da saúde. O diretor de Relações Institucionais do IES, Carlos Eduardo Gouvêa, destacou a importância e magnitude do evento, quando a feira completa 30 anos. “Simboliza muito estarmos todos reunidos aqui, presidentes de associações diversas, nacionais e internacionais, para reafirmarmos o compromisso com a integridade”. 
 
A Federação Brasileira de Administradores Hospitalares (FBAH), foi a primeira a assinar o Marco de Consenso. A presidente, Daniela Camarinha, fez um pedido para que todos façam parte da iniciativa e convidou a presidente e fundadora da Hospitalar Feira e Fórum para também assinar o documento. “O setor saúde precisa dessa mudança de cultura de integridade transversal”, clamou Waleska Santos. Em seguida, firmaram o documento o CEO da Missão Sal da Terra, rede de atendimento em saúde pública, Arthur Guilherme Rocha Pereira; o vice-presidente para América Latina e África da AdvaMed, Steven Bipes; o superintendente da Agir Saúde, Lucas Paula da Silva; e o presidente da CNSaúde, Breno Monteiro. 
 
Reforçaram o compromisso com a ética as entidades ABIIS, ABRAIDI, Aladdiv, CBDL e Fehoesp. Atualmente o Marco de Consenso para a Colaboração Ética Multissetorial na Área de Saúde conta com 36 signatários. 
 
“O Marco é um compromisso dos signatários, entre outras coisas, para promover relacionamentos colaborativos onde a transparência e a integridade prevaleçam entre os diferentes atores envolvidos no Sistema de Saúde, com foco no bem-estar do paciente; incentivar um melhor diálogo, confiança e respeito entre as organizações atuantes no setor; e promover a concorrência ética, com preços justos e otimização dos recursos existentes, através de processos éticos em todo o ciclo de fornecimento e consumo”, definiu Carlos Eduardo Gouvêa. 
 
 
 

Compartilhe