Profissionais de saúde devem atuar ativamente na mudança cultural por um setor menos oportunista e injusto, defende presidente do IES


Data de Publicação: 01/12/2021
Profissionais de saúde devem atuar ativamente na mudança cultural por um setor menos oportunista e injusto, defende presidente do IES
Na abertura do 15º Congresso Brasileiro de Enfermagem, promovido pela Associação Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e Esterilização, no dia 30 de novembro, em São Paulo, o presidente do Conselho de Administração do Instituto Ética Saúde, defendeu que os associados da SOBECC devem ser parte ativa da mudança cultural por um setor menos oportunista e injusto. 
 
“Vocês estão na linha de frente. Entendemos o sentimento de impotência diante de atitudes que veem e sabem ser indícios de fraudes. Tragam esses fatos para o IES. Nós queremos ser o megafone da cadeia, no combate às más práticas”, afirmou Eduardo Winston Silva. 
 
Segundo o executivo, a confiança é ponto fundamental na construção de uma sociedade mais eficiente, com melhor qualidade e justiça social. Mas o Brasil apresenta baixíssima. “Não confiamos em nossos representantes, nas instituições, nas organizações, nos gestores, nos funcionários, prestadores, vizinhos e assim por diante. E isso faz com que gastemos uma quantidade enorme de tempo, esforço e recursos em atividades de comando e controle. A Saúde deveria ser diferente, mas infelizmente não é. E está piorando”, analisou Winston, acrescentando que “informações que coletamos com vários segmentos dessa enorme cadeia é que o oportunismo, a falta de ética e a corrupção estão aumentando. Não podemos ficar de braços cruzados”. 
 
A SOBECC e integrante do Conselho Consultivo no Instituto, ao lado de outras 28 entidades que representam todos os segmentos da saúde. 
 
 

Voltar para o topo